MEDO DE SE OLHAR NO ESPELHO..

image

image

image

Medo de se olhar no Espelho

Quem nunca quis disfarçar um “defeitinho” com alguma roupa, maquiagem, penteado ou qualquer outro artifício para ficar mais bonito? A procura por um visual mais bacana não tem nada de errado, é até saudável. O problema acontece quando o cuidado se torna uma obsessão, atrapalha a vida e as coisas rotineiras.

Quando olhamos
para o espelho, ele reflete
exatamente a mensagem que
expressamos no rosto. E a
vida se dá dessa maneira, a
gente sempre recebe a energia
que emana.

A repercussão do que nos oferece
nosso reflexo sobre nosso físico,
quando nos olhamos no espelho, pode
afetar a nossa maneira de nos
relacionarmos com os demais e
também com nós mesmos.

Do hábito de nos olharmos e nos
analisarmos em frente ao espelho,
pode surgir a necessidade de
aprendermos a conviver com o corpo
que temos e a analisar nossos
complexos e defeitos, antes de
procurá-los nos demais.

Assim como ocorre ao se conviver com
alguém, temos que aprender a viver
diariamente com o nosso corpo e,
sobretudo, com o que vemos
no espelho, que não é nada mais que
uma projeção que fazemos de nós
mesmos.
“Espelho, espelho meu…
Existe alguém mais bonita do que
eu?” Já dizia a malvada bruxa do conto
Branca de Neve. Ela fazia o impossível
para ser sempre jovem e formosa.
Na realidade não temos poções ou
bruxarias para que isto aconteça; a
fonte da juventude não existe. O que
existe é a capacidade de nos
amarmos como somos e, sobretudo,
de nos aceitarmos, sem importar a
idade, os quilos, as rugas ou os
centímetros.

O ponto mais interessante do medo de
espelho é que ele representa possibilidades
infinitas de imagens assustadoras, pois o
espelho não impõe nenhuma imagem,
apenas reflete o que existe. Certo? Errado!
Porque  nossa  capacidade de imaginar
consegue “ver” o que não existe, e o espelho
funciona como um facilitador para que as
imagens criadas internamente sejam
concretizadas.
O espelho pode ser um catalizador de nossas
fantasias. Usamos o espelho para uma
percepção de realidade para o que não é
real.
As pessoas visualizam através do espelho
todo seu repertório de medos. Sendo assim,
uma pessoa que tenha um medo
desproporcional de engordar poderá ter
muito medo do espelho porque ele “refletirá”
um corpo assustador, ou seja, gordo. Mesmo
que na realidade esta pessoa tenha um
corpo ótimo. Em psicologia se chama
“transtorno dismórfico corporal”.
Pessoas que ouviram estórias assustadoras a
respeito de pessoas que já morreram e
voltaram para “assombrar” poderá ter medo
de ver a imagem destas pessoas no espelho.
A simbologia do espelho inclui toda uma
representação da transparência da alma.
Dizem que os espelhos não mentem. Ok,
acredito nisso, mas o que também acredito é
que  as percepções podem ser distorcidas
perante os olhos de quem vê o espelho..

Como superar a
síndrome do espelho?
Em primeiro lugar, é necessário
deixar de lado os preconceitos e as
comparações. Não somos melhores e
nem piores que os demais; só
diferentes.
Mais gordo, mais magro, mais alto,
menor, mais bonito, mais feio… são só
apreciações arbitrárias. A moda vai
mudando e os padrões de beleza
também. É só olhar as pinturas de
três séculos atrás.
Cada um de nós é bonito por suas
características particulares, somos
únicos e inigualáveis, os seres mais
bonitos de toda a criação. Isto não
quer dizer que devemos nos tornar
narcisistas e admirar nossa imagem o
tempo todo, acima de todas as coisas
e pessoas, exibindo nossa beleza.
Significa que precisamos aprender a
nos amarmos e a nos aceitarmos
como realmente somos.
Por outro lado, é
fundamental começar a rir de si
mesmo, dos nossos erros e do que
não gostamos. Um toque de humor
aliviará muito a existência e
melhorará a relação que temos com o
nosso corpo e também com os demais.
Também é fundamental nos tornarmos
os nossos melhores amigos e
cúmplices. O que isto quer dizer? Não
prejulgar nossa imagem pelo que nos
mostra o espelho. Se estamos de bom
humor, felizes e satisfeitos,
verdadeiramente, não importa o
tamanho do quadril, da barriga ou do
nariz.
E como medida fundamental,
devemos nos amar para que,
depois, possamos amar aos
demais. Se não nos respeitarmos,
ninguém o fará.
A única pessoa com quem são
permitidas comparações é você
mesmo, ninguém mais. Você só
precisa lutar e superar-se a cada dia,
ser uma pessoa melhor e desenvolver
novas habilidades. Você poderá
analisar como era ontem e como é
hoje, não para criticar-se, mas sim
para saber de que maneira agir
para evoluir.
A percepção de nosso físico é só um
reflexo de nosso estado interno.
Devemos nos preocupar com a
nossa saúde, não com
as aparências. Certamente, dessa
forma, você terá uma percepção
diferente da sua imagem no espelho.
Faça um teste: se você se olhar no
espelho um dia que estiver triste e se
comparar com algum outro dia, no
qual estava feliz, verá uma grande
diferença.
No momento em que nos aceitarmos
como somos, teremos a capacidade de
rir de nossos erros e enganos, sem nos
importarmos com o que reflete o
espelho; é quando teremos nos
tornado, verdadeiramente, pessoas
equilibradas e felizes.
Quando pudermos rir de nós mesmos,
poderemos sorrir para os demais, um
sorriso que mostrará a nossa
verdadeira essência e que encantará
os que estiverem ao nosso redor.

Advertisements

Porque a Gente sofre tanto na vida?

image

Porque sera que a gente sofre tanto na vida?

E uma pergunta que todos se fazem né..

Meu caro, procure uma ajuda
psicológica pois talvez você precise.
Aprenda uma coisa, que talvez te
ajudará para o resto da vida:
Nunca pare a sua vida por causa do que
os outros acham.
Sabe, as vezes na vida a gente desiste
de tudo por conta do que os outros
falam. Não desista de você por que os
outros te acham feio. Se pode ser a
pessoa mais feia desse mundo, o que
eu acho que não é. Veja bem, tá cheio
de gente feia nesse mundo. Se sai na
rua o que mais se vê é gente feia, mas
tá todo mundo vivendo, saindo, se
divertindo e etc. Cara no final ninguém
será sempre bonito. É serio. E você se
acha feio não é? Não sei se você é mas
se for problema. É como eu já disse tá
cheio de gente feia por ai. Afinal, não é
toda hora que os bonitões são bonitões
e que as bonitonas são bonitonas.
Quero ver depois que acorda, com
aquela cara toda amassada, aquele
bafo que até a escova de dente mucha.
Ninguém é bonito o tempo todo, nem
eu sou bonito o tempo todo. Tem dias
que me irrito de tão feio que tô, ai sabe
o que eu faço? Eu procuro me cuidar.
As vezes as pessoas se acham tão feias
que acham que será in vão se cuidar,
ai perde a chance de arrumar alguém
na vida. Ninguém quer alguém que
não se cuide concorda? Tá cheio de
gente feia por ai mas boa parte delas
se cuidam. O importante é viver
independente de ser feio ou bonito.
Não sei se você se cuida, acredito que
sim, mas se não se cuida, se cuide pois
logo aparecerá alguém. Uma outra
coisa que vou dizer, que também se
tem que guarda pro resto dessa vida:
Só sabe que é amado de verdade
aquele que não tem dinheiro e é feio
de mais. É serio.
Não sei se você tem dinheiro, se tem
não tem como saber 100% que é
amado.
Mas a pessoa que é feia e não tem
dinheiro e nem nada e mesmo assim
tem alguém do lado, essa pessoa tem
que ter certeza que é amada.
Hoje em dia meu caro, mulher e
homem só que gente bonita e com R$.
Se a gente não tem dinheiro e é feio, a
gente sabe que é amado.
Bom, pense bem em tudo que eu disse.
Espero ter lhe ajudado.
Quando você se achar feio, olha pro
mundo e veja que nele tem gente mais
feia que você.

A pessoa certa é aquela que prova, todos os dias, que te quer na vida dela.

image

A pessoa certa é aquela que
prova, todos os dias, que te
quer na vida dela.

A pessoa certa é aquela que mesmo em
silêncio faz teu sorriso te alongar. Que
só sossega quando te ver bem, que fica
ansioso por você, que torce pelos seus
sonhos e que vibra quando você os
alcança. A pessoa certa é aquela de
sentimento sincero, aquela te deixa livre
pra ir até onde você bem quiser, que te
solta pra vida, que está sempre disposto
a te ensinar e aprender, a te dizer o que
se passa e a te ouvir quando você
precisar desabafar.
A pessoa certa é aquela que aceita suas
escolhas sem fazer cara feia, que
compreende que o seu jeito vezes
confuso, suas manias e os seus defeitos
fazem parte de você e querer mudar isso
é como te pedir pra que se ajuste as
expectativas que não te pertencem. A
pessoa certa é aquela que compreende
que você é diferente e é justamente por
isso que as coisas tem tudo pra serem
mais interessante. A pessoa certa é
aquela que entende que você carrega
outros sonhos e vontades pessoais, que
você, apesar de gostar de cinema a dois e
Nando Reis, as vezes você precisará de
tempo sozinha pra se realizar. A pessoa
certa é aquela que não é egoísta com
você, que não suga as suas energias, que
não te cansa e faz do teu dia um
desastre. A pessoa certa é aquela que te
acrescenta, que faz o teu tempo valer a
pena quando está com você, que
aproveita cada desenho do teu sorriso e
jamais desejaria tirá-lo do teu rosto. A
pessoa certa é aquela que soma na vida.
E gente que soma na vida, deixa as
coisas mais leves pra nós. E quando as
coisas ficam mais leve pra gente, os
momentos se eternizam e tudo
simplesmente, naturalmente acontece.
A pessoa certa é aquela te de deixa
saudade e que, principalmente, mata
tua saudade. Que te faz se sentir
importante, único e verdadeiramente
inteiro. A pessoa certa é aquela que está
sempre disposta a te descobrir, aquela
que acha que a cada dia ao teu lado é
um novo dia pra te conhecer. A pessoa
certa é aquela que te acha
extremamente interessante mesmo
quando ninguém acha você tanto assim,
aquela que te enxerga como ninguém
jamais foi capaz de te enxergar, aquela
unica pessoa que te vê a olho nu e não te
deixa sem graça. A pessoa certa é aquela
que te liga quando os teus créditos
acabam ou quando, por coincidência,
você tenha acabado de pensar nela,
aquela que aparece pra te ver quando
você menos espera, aquela que te
abraça  até você soltar ar pela boca,
aquela que te beija como se não tivesse
te visto há anos, aquela que te doa o
peito pra você dormir e a vida pra você
acampar, que entrelaça os dedos em teu
cabelo, que divide um banho com você,
que enxerga nas mais simples coisas um
motivo pra continuar ao teu lado,
porque gente que consegue enxergar as
coisas mais simples não costuma
complicar as coisas e problematizar a
vida, e a pessoa certa é aquela que vai
se apaixonar por você principalmente
nos pequenos detalhes.
A pessoa certa é aquela que acredita em
você, que torce pra te ver em algum
palco, palestrando, agradecendo ou
falando de alguma coisa que você
sempre sonhou fazer, mesmo quando
ninguém acredita em você, mesmo
quando você mesmo não acredita em si.
A pessoa certa é aquela que te olha com
um sorriso de canto quando você está
distraída, aquela que te observa dormir
e se sente segura ao estar com você e tem
certeza que você se sente assim também.
A pessoa certa é aquela que troca magia
em um só olhar, aquela que se conecta a
você mesmo quando está tão distante,
aquela que te faz bem só em existir nas
tuas manhãs e na tua vida.
A pessoa certa é aquela que reconhece
os próprios erros, que se desculpa e não
machuca. A pessoa certa é madura,
entende que em caso de brigas e
desentendimentos, nem sempre estará
certo, alguém vai precisar abrir mão do
orgulho. A pessoa certa é aquela que não
faz do amor joguinhos banais, que não
usa o sentimento como motivo pra
justificar um erro, que não faz
provocações de ciumes bobos e atitudes
desnecessárias. A pessoa certa é aquela
que te procura, te cura e que jamais te
deixará na mão. Aquela que guia pro
melhor abraço, que te acolhe pro melhor
amasso, que te decifra em um só
palpitar do teu coração.
A pessoa certa é aquela que tira o teu
sossego só pra te fazer o bem, que te tira
o sono por preocupação e não por
decepção, que te irrita com cócegas na
barriga e não com náusea por alguma
frustração. A pessoa certa não vai te
privar das coisas que você sempre fez,
não vai te tirar dos seus amigos e dos
lugares que você sempre foi, a pessoa
certa é aquela que te apresenta novas
bandas, novos lugares e novas pessoas,
que te inclui em um novo mundo e não
te tira do teu universo. A pessoa certa é
aquela que te dá a mão além do peito, a
alma além do corpo e a mente além do
coração. A pessoa certa é aquela que vai
errar feio, vai te irritar e te tirar do sério
às vezes, mas jamais fará
você duvidar de vocês, jamais fará você
se arrepender de tê-la conhecido.
A pessoa certa é aquela que te permite
ser, que não te tranca, aquela que te
escancara o peito porque sabe que não
tem nada mais sensato e bonito que o
amor sem pesos e cadeados. A pessoa
certa é aquela que se torna o motivo
pros seus dias melhores, o sentido prum
domingo de frio, com edredom, Netflix e
você. A pessoa certa é aquela que te dá
coragem ao invés de medo, que te dá
certezas ao invés de dúvidas e flores ao
invés de dividas. Por fim, a pessoa certa
é aquela que te atrai e não te trai,
porque no final das contas, se for pra ser
igual a tantos por aí, se não for pra fazer
bem, melhor você nem encontrar.

Aprendendo com os Erros.

image

Aprendendo com os Erros…

Errar é humano, já dizia os nossos
antepassados. Permancer no erro é burrice, completamos.
Os erros trazem desgostos, nos fazem
perder tempo, às vezes, dinheiro e pessoas.
Se ele serve para algo mais além da
sensação de frustração, é para nos mostrar a maneira de fazer o certo.

Certamente você pode ser
muito autocrítico, especialmente ao se
dar conta de que seu comportamento
poderia ter sido melhor do que
realmente foi, mas o que é
verdadeiramente importante é
aprender com os erros e poder
melhorar para uma próxima vez.

Por isso, não devemos desistir de mais uma tentativa após a tristeza de falharmos, conosco ou com quem espera tanto de nós.
Devemos sim, levantar a cabeça e passar para mais uma tentativa. Uma vez que aprendemos o que não deve ser feito, fica mais fácil descobrir o que deve ser colocado em prática.
Portanto, os erros existem para provar que o desafio nos motiva e que grandes lições podem ser tiradas dos nossos fracassos.

Como aprender com
seus erros
– Não se sinta inibido devido as suas
decisões passadas, o que foi feito,
está feito e não pode ser mudado. De
agora em diante, faça as coisas da
melhor maneira que você puder.
– Cultive a confiança em seus
relacionamentos, porque ela é uma
das grandes razões para estar em uma
relação, tanto dar confiança, quanto
recebê-la. E lembre-se de fugir das
pessoas pouco confiantes.
– Se realmente você quiser o perdão
de alguém que esteja se sentindo
ferido, a pessoa precisa ser capaz de
sentir a sua dor, porque só aí, então,
a pessoa sentirá que sua desculpa é
sincera, e que você está arrependido.
– Não se culpe por ser complacente,
já que pode ser que você precise ser
discreto ou aceitar esse momento em
particular.
– Na realidade, você deve se mostrar
uma pessoa agradável, não deve
provocar sofrimento nos demais, pois
se os tratar de maneira ruim, você
também não se sentirá bem consigo
mesmo.
– Controle sua raiva, pois ela pode
acabar com a sua motivação; é melhor
deixar a raiva de lado, do que perder
tempo e energia sendo sarcástico, ou
maltratando as pessoas.

– Não se deixe vencer! Dê vida aos
seus projetos.

CINCO MINUTOS..

image

CINCO MINUTOS..

O Que se da de fazer em CINCO MINUTOS?? Muita coisa né;

Fazer as tarefas de casa, pegar um onibus, ir a padaria, ou ir naquele mercado perto da sua casa e talz..

Mas.. Nos relacionamentos amorosos ,CINCO MINUTOS tambem fazem diferença, como por exemplo:
“Amor, vou te convidar pra gente dar uma volta, e quero ver você toda linda parecendo uma rainha!”
“Tudo bem, espera CINCO MINUTINHOS pra eu me trocar…”
Cinco Minutos, fazem realmente fazem toda diferença tanto pro bem ou nem tanto assim, como no amor ou em qualquer outro afazer dessa estrada da vida..

E ai, o que esta esperando? Não espere Cinco Minutos para deixar as coisas acontecerem..

Depois da meia Noite..

image

Depois da meia noite
Existe algo de acolhedor no
silêncio da madrugada. O escuro
da noite clareia qualquer mente.
Porque nessa hora ninguém
chama, o telefone não toca,
nenhum ruído se faz presente.
É só você. E pensamento.
Mil pensamentos.
Existe algo de igualmente
perturbador na calmaria da
madrugada. Qualquer medo vem
à tona, qualquer arrependimento
é mais sincero. E se tínhamos
dúvidas, elas tratam de ganhar
mais espaço.
Madrugada é intrigante, é
mistério. Hora de criação,
planejamento. Lembranças.
Milhares de “mas e se?…”.
Ideias mirabolantes. Metade que
será descartada na manhã
seguinte.
Coragem repentina pra um ‘eu te
amo’, ensaios mentais em que se
decora frase a frase – e também
se acovardar de manhã.
É recriar em pensamento o passo
a passo de cada memória
marcante, alimentando a
recordação pra não cair no
esquecimento.
É se perguntar, às 2:37, ‘por que
eu disse aquilo?’.
Acolhe. Perturba. Intriga.
Acalma.
Sinceramente? Eu gosto.

Os comodos do meu coração..

image

Os cômodos do meu coração
Em certo capítulo do passado, eu assumo: tive dúvidas. Tive
medo também. Mas quem é que não tem? Quem é que nunca
teve que respirar fundo perante uma encruzilhada emocional?
Não sei se graças à imaturidade que havia em mim – e que
naturalmente ainda há – ou se devido à ganância que o mundo
adulto me ensinou a ter, só sei que, em algum momento já
ultrapassado, eu não soube dizer, a mim mesmo, em qual
cômodo do meu coração eu alojaria você. Juro que eu não sabia.
Não fiz por mal. Entregar-lhe o quarto principal, aquele que
pouquíssimas tiveram o privilégio de usar, pareceu-me
demasiadamente precoce e arriscado. Afinal, aquele lugar – para
mim – sempre foi – e ainda é – sinônimo de coisa extremamente
séria.
Por outro lado, dar-lhe apenas a chave do quartinho dos fundos –
aquele com colchão no chão, ventilador pifado e sem janelas –
pareceu-me algo pequeno demais para o que eu já sentia por
você. Então, enquanto eu respirava fundo e buscava, nos
detalhes da nossa crescente convivência, a óbvia resposta para a
minha indecisão, deixei você no confortável, porém,
demasiadamente impessoal quarto de visitas. Deixei você lá, pois
eu não queria lhe perder. Não queria, de maneira alguma, que
você saísse dali. E você, felizmente, nunca reclamou de nada.
Nunca, por nenhum motivo, pediu-me a chave do quarto principal
ou tentou arromba-lo. Apenas se manteve, como alguém que
sabia para onde queria ir, paciente. Sei que outras – muitas
outras – não teriam esperado o tempo que você esperou pela
minha indecisão. Porém, você – especial como só você sabe ser –
ficou por lá, sorrindo para porta-retratos que não continham
fotos suas e deitada na cama cujo edredom era amarelo – a cor
que mais odeia. Mas ficou. Ficou até que eu percebesse que
nossas viagens não se tratavam apenas de turismo “boêmio-
gastronômico”.
Ficou até que eu notasse que naqueles hotéis, que muitas vezes
eram bem diferentes das fotos que víamos na internet, acontecia
um fenômeno raro e extremamente maravilhoso: a convivência
harmônica e amorosa entre duas pessoas. Você ficou, sem
reclamar, até que eu soubesse o quanto abrir mão de você – ao
contrário do que cheguei a pensar – não me tornaria mais leve
para voar e sim, um pássaro sem arranque e com defeito nas
asas. “Como assim?”, você talvez me pergunte. Eu explico: você,
muitas vezes, foi a coragem decisiva para que meus voos saíssem
do papel e o pontapé na minha bunda necessário para que eu
rompesse a inércia e o comodismo. “E se não der certo?”, eu lhe
perguntei. “Aí você tenta de novo!”, você respondeu. “E se o meu
dinheiro não permitir mais que comamos fora?”, eu questionei.
“Com você, um filé de frango com purê de mandioquinha se torna
o melhor jantar do mundo!”, você respondeu.
Aí veio a luz: ficar com você, definitivamente, não era deixar de
ter todas as outras. Pelo contrário: ficar com você era ter todas
as outras – as melhores mulheres – em uma só.

Amor a Distancia..

image

    Um amor que chega sem
ser esperado…
                     Que não pede
permissão para entrar…
                     Mas que invade o
corpo inteiro… Como se dono fosse
do meu ser…
                     Um amor que vi aos
poucos dentro de mim crescer!
                     Um amor que a
distância não impediu,
                     De aflorar na minha
existência tão sem graça.
                     Que me trouxe a
alegria de estar vivo…
                    Que despertou
a emoção adormecida!
                    Quando descobri que
estavas em minha vida,
                    Ah esse amor que
chega a doer de tanta saudade…
                    Que anseia em seus
braços um dia ser aconchegado.
                    Que sonha com seu
rosto um dia acariciar.
                  Em teu corpo os delírios
do prazer sentir…
                  E o seu coração com o
meu amor seduzir!
                  Ah esse amor…, esse
amor…
                 Que deixa meu corpo em
brasas.
                 Quando em sonho
muitas vezes acordado.
                  Sinto o seu corpo sob o
meu, e
                 Assim por ti estar sendo
amado.
               O que seria de mim se
não sonhasse!
               Talvez perdesse a
esperança….
               Mas eu sonho, e tenho
esperança.
              Que um dia em nossas
vidas vou lhe encontrar,
              Com meu carinho e meu
amor poder dizer,
Que eu nasci para lhe
amar e ser amado por você!

VERGONHA..

image

VERGONHA!!

Quantas vezes você já teve vontade que um buraco abrisse
no chão para poder desaparecer sem deixar rastros? Essa
emoção é chamada vergonha. E ela tem algo positivo por
trás… O “passar carão”, o “pagar mico” é muito útil para
alcançarmos uma evolução em desafios de nossas vidas!
Pode ser difícil aceitar, mas essa emoção também tem
utilidade para melhorarmos emocionalmente ou
profissionalmente. O problema é quando não conseguimos
ousar além de nossas possibilidades e nos deixamos levar
pela vergonha não conseguindo ultrapassar nossos limites
para conseguir algo além do nosso normal e perdemos
muitas oportunidades na vida.
Estou publicando uma série de artigos sobre emoções! Uma
reflexão de como elas influenciam nossa vida e como podem
prejudicar quando são negativas! Já foi apresentado sobre:
Raiva, culpa, ressentimento, ciúme, inveja e arrependimento.

E se De repente, você falou alguma coisa, todo
mundo olhou em sua direção e pronto! Seu
coração ficou acelerado, as bochechas
esquentaram e ficaram vermelhas “como
um pimentão“.
Você, meu amigo/amiga, está
envergonhado e está corando por causa
disso.
Corar e envergonhar-se andam de mãos
dadas. Ficar vermelho é uma resposta
natural a uma emoção forte, capaz de lhe deixar sem reação.

Senti vergonha. E agora?
Na próxima vez que sentir vergonha,
transforme a forma como você lida
com esse sentimento tomando as
seguintes atitudes:
Aprenda a identificar como
você reage fisicamente à
vergonha. Eu, por exemplo,
sinto um calor enorme no
rosto, meu coração dispara
e eu começo a me criticar
implacavelmente.
Entender como reagimos é
o primeiro passo para
desenvolver a resiliência à
vergonha, pois te traz
consciência sobre suas
emoções.
Encontre quem você pode
chamar para te ajudar
nessa hora,
compartilhando a situação
vivida e expressando como
se sente. Pode ser uma
amiga, um amigo, sua
mãe, seu marido. Quem
pode escutar a sua história
com empatia e amor?
Conte com essa pessoa
para te ouvir, te apoiar e
te amar como você é, com
seus pontos fortes e
fracos. Fale sobre a
vergonha e elimine o
segredo e o silêncio que
fazem a vergonha crescer.
Descubra qual é a coisa
mais corajosa que você
pode fazer por si mesmo
quando se sente diminuído
ou magoado. Pode ser uma
breve oração, pode ser
simplesmente ter coragem
de chorar e aceitar que se
magoou, pode ser meditar
por alguns momentos. Não
alimente a vergonha com
críticas. Saiba o que pode
fazer para se fortalecer e
faça!
Ao adotar essas três atitudes você
reage conscientemente à vergonha,
elimina a crítica, assume sua
história e confia no valor que você
tem, aprendendo com o que passou.
Compartilhe comigo como foi lidar
com a vergonha depois de aprender
essa nova forma de reagir a ela. É só
comentar aqui embaixo. Vou ficar
muito feliz ao saber mais sobre
você.

Quando um grande amor se vai..

image

Quando um Grande Amor se vai..

Quando um grande amor se vai
até parece que todas as flores do
mundo murcharam, perderam a
cor e os dias de repente ficam sem
graça, falta vontade de sorrir.
Quando um grande amor se vai é
como se o coração ficasse mais
duro, sentimos feridas invisíveis,
em carne viva, latejando, nos
lembrando a todo momento do
que aconteceu.
Quando um grande amor se vai é
a hora exata em que paramos, de
um jeito ou de outro, ora para
tentar entender o que houve, ora
na tentativa de encontrar uma
forma de voltar no tempo e fingir
que está tudo bem, que oi só uma
briga, um sonho ruim ou algo
passageiro.
Quando um grande amor se vai,
parece que nada mais de bom
nascerá dentro de nós, que tudo é
deserto e a única chuva que virá
para regar o que acreditamos
ainda restar de vivo, são as nossas
lágrimas. Ficamos de luto e nos
vemos obrigados a conviver com
uma escolha que não é nossa e,
muitas vezes, nem do outro, mas
da vida e seus mistérios.
Ainda temos uma imensa
dificuldade em deixar ir, abrir mão
de coisas, situações ou relações
que já não nos servem mais e, por
acreditar piamente que sempre
foram nossas por direito, o
sentimento de posse acaba
falando mais alto e nos apegamos
de modo excessivo e é exatamente
isso o que provoca o sofrimento.
Praticar o desapego não nos faz
promíscuos ou sem coração, não
faz com que não amemos
verdadeiramente ninguém, mas
exatamente o contrário: Quando
amamos de verdade uma pessoa, a
deixamos livre para escolher como
deseja viver. Essa frase clichê traz
uma verdade um tanto difícil, mas
necessária, porque ser
desapegado é saber que nada na
vida da gente é eterno, nem
mesmo os nossos corpos. É não se
prender e não aprisionar ninguém,
porque nada que nos prende pode
ser bom, o amor exige liberdade e
só pode ser feliz quem é livre.
Um dia partiremos desta vida e o
que levaremos? Iremos de braços
dados com quem tanto amamos
nessa rápida existência?
Infelizmente não, mas levaremos o
que sentimos. Teremos bastante
tempo para conviver com o que
temos de mais genuíno: nossa
alma – e é bom que ela esteja
habitada por bons sentimentos,
porque são eles que nos ajudam a
construir o que somos. São eles
que nos ensinam a separar o que
nos faz crescer do que precisa
partir.
Muitos lamentam separações que
ocorreram há anos, não
conseguem se libertar da perda e
da sensação de vazio que ficou
depois do fim. Bradam aos quatro
ventos: “Ah! como meu amor era
grande, sofri muito por ele”,
quando o melhor seria dizer: “fui
muito feliz, tenho ótimas
lembranças e aprendi muito com
essa relação”, pois o que fica
depois do adeus, apesar de não
parecer, é um mundo de
possibilidades, uma verdadeira
engrenagem que só funciona se a
gente quiser. É a vida andando
pra frente, é o sol nascendo de
novo quer a gente queira ou não.
Faça uma pausa pra pensar,
queira entender porque não saiu
como o esperado, mas, por favor,
não culpe o amor por isso e não
culpe quem você ama também.
Muitas vezes, a vida nos livra de
enrascadas, de experiências
desnecessárias e de caminhos que
não vão para onde merecemos ir.
É difícil, eu sei, fazemos planos,
imaginamos um futuro lindo ao
lado daquela pessoa… Mas você já
parou pra pensar que não existe
um roteiro sequer que nunca
tenha sido revisado, adaptado, ou
simplesmente reescrito pelo
autor? Replanejar pode ser muito
bom.
Não existe um padrão ou um
molde para a vida acontecer. Ela,
muitas vezes, foge ao nosso
controle. Viver não admite
fórmulas exatas, há
probabilidades, tendências, mas
sempre haverá a surpresa e isso
não é diferente para o amor. O
inesperado chega sem bater na
porta, é como o próprio nome diz,
nos faz arregalar os olhos, é como
um soco, um frio na espinha, mas,
às vezes, vem como o bater de
asas de incontáveis borboletas no
estômago. Ele também pode ser
gentil e nos mostrar o que nos
recusamos a ver: um
relacionamento falido, o hábito
que nos prende ao outro, a rotina,
o medo do novo, entre outras
situações.
Precisamos parar de endeusar
romances e ter em mente que ficar
sozinho também é bom. Saber que
gostar de ser só não significa que
vai ser assim pra sempre, mas que
teremos algo a oferecer quando
outro grande amor chegar. E ele só
virá quando a casa, ou melhor, o
seu coração estiver em ordem,
quando os pingos estiverem nos
is, nada perfeito, mas em paz e
quando essa hora chegar você vai
saber, acredite.
Por vezes acreditamos que o que
se foi pode ser considerado um
grande amor por causa do
tamanho da dor que ficou. Ledo
engano! Um amor só é importante
se marca, não à ferro em brasa,
mas pela verdade e pelo
comprometimento com o bem
estar das partes envolvidas,
formando uma espécie de ponte
entre duas criaturas que desejam
somar e aprender juntas, porque
querer amar é também querer
evoluir.
Nós só saberemos se o que
vivemos foi um grande amor se
formos capazes de perdoar o
outro, sentirmos saudade sem
sofrer, sermos gratos pelo que
passamos juntos e,
principalmente, se respeitarmos
as escolhas alheias. Não é porque
acabou que não pode ser
considerado um amor que deu
certo, ele deu certo até aquele
momento, até quando tinha que
ser e isso é mágico. Poucos têm a
oportunidade de amar com tanta
profundidade, poucos tem essa
coragem e a força necessária para
se deixar envolver. É importante
dar valor aos amores que a gente
viveu, mas é primordial ter em
mente que há outros grandes
amores para se viver e que
eles são feitos de coisas que nos
fazem bem, porque nada que nos
faça mal pode ser considerado
amor. Nada que seja pesado
demais para se carregar pode ser
bom ao coração.
Quando um grande amor se vai,
você pode chorar e tem todo o
direito de lamentar e ficar triste,
mas você também tem a obrigação
de saber que você continua sendo
a mesma pessoa, talvez mais forte,
talvez ainda caminhando para
isso, mas inteira, com todos os
pedacinhos de que precisa.
Quando um grande amor se vai,
outro ainda maior precisa ficar: o
amor por nós mesmos e por tudo
que merecemos e que ainda
vamos viver.